Avançar para o conteúdo principal

Ovos de galinhas geneticamente modificadas podem ser chave para travar cancro

Contêm substâncias que podem curar também a artrite. Medicamento que provém dos ovos pode ser cerca de 100 vezes mais barato Investigadores britânicos criaram galinhas geneticamente modificadas, cujos ovos contêm substâncias que podem ser usadas para medicamentos destinados ao tratamento da artrite e de vários tipos de cancro. O medicamento que provém dos ovos das galinhas poderá ser cerca de 100 vezes mais barato do que o composto fabricado sinteticamente. Os investigadores acreditam que o tempo de produção pode ser ajustado de forma a ser produzir em quantidades suficientes para a sua comercialização. As galinhas não sofrem durante todo o processo e vivem uma vida privilegiada em comparação com outros animais, segundo afirma à BBC Lisa Herron, investigadora do Instituto Roslin da Universidade de Edimburgo, em Inglaterra. Vivem em campos enormes. Comem, bebem água e são vigiadas numa base regular, por técnicos especializados. Vivem uma vida bastante confortável. Tanto quanto a galinha sabe, está a por um ovo normal. Não afeta a sua saúde de maneira alguma”, disse a cientista. Os cientistas já tinham demonstrado que cabras, coelhos e galinhas geneticamente modificadas podiam produzir proteínas terapêuticas através dos ovos ou do leite. Ao que tudo indica, esta nova abordagem é mais eficiente, mais rentável e mais em conta do que as últimas tentativas. Solução está na clara do ovo Lisa Herron e a sua equipa inseriram o gene humano responsável pela produção da proteína na porção de ADN das galinhas destinada à produção da parte branca do ovo – a clara. A equipa de cientistas focou-se em duas proteínas essenciais ao sistema imunitário humano: a IFNalpha2a, um poderoso antiviral com efeitos anticancro, e a macrophage-CSF, que está a ser usada para fazer com que tecidos danificados se reparem a si próprios. São precisos apenas três ovos para produzir a dose recomendada do medicamento, e as galinhas conseguem chocar até 300 ovos por ano. O desenvolvimento de medicamentos para consumo humano, com toda a regulamentação exigida, pode levar entre dez a 20 anos, o que leva os cientistas a focarem-se no uso das galinhas para a produção de medicamentos animais, por agora. Ainda não estamos a produzir medicamentos para pessoas, mas este estudo mostra que as galinhas são comercialmente viáveis para a produção de proteínas que podem ser usadas para medicamentos ou para outras aplicações da biotecnologia”, concluiu Helen Sang do Instituto Roslin da Universidade de Edimburgo à BBC. Os ovos estão a ser produzidos para fins científicos e não se encontram à venda em quaisquer superfícies comerciais.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os robôs pelos quais você deve se apaixonar antes de fazer sexo com eles! (Tecnologia)

A tecnologia invadiu quase todas as áreas da atividade humana , e o campo sexual não é livre, por isso não são robôs sexuais que permitem desfrutar de relacionamentos íntimos para outro nível. Empresas como a Abyss Creations , fabricantes de bonecas sexuais RealDoll , procuram oferecer a experiência mais real possível. Isso inclui que os robôs podem ser programados para apresentar diferentes " humores " e reagir de acordo, mesmo recusando-se a ter um relacionamento sexual. Em todo o mundo, estão indo em alarmes sobre os estereótipos de gênero, o sexismo e objetificação sexual , especialmente considerando desenvolvimento de modelos como o robô Frigid Farrah , programado para " mostrar" o descontentamento quando o jogo abruptamente ou o projetos que simulam a anatomia de menores. O que é um fato é que essas máquinas sempre estarão dispostas a fazer o que seu dono quer . Por isso, outro perigo identificado pelos especialistas é que a inteligência e os senso…

E se metade das contas que existem no Facebook na verdade forem falsas?

O Facebook de Mark Zuckerberg é sem dúvida nenhuma a maior rede social da Internet. As seus muitos utilizadores mostram que é a escolha da maioria e que são fieis. Mas um novo estudo vem mostrar que na verdade pode haver dados falsos. Segundo a informação existente, metade das contas que existem no Facebook são falsas. Os dados que a rede social tem divulgado mostram que conta já com já 2,2 mil milhões de utilizadores.O crescimento tem abrandado, mas ainda assim é um valor que poucos se podem gabar de ter. Aaron Greenspan quer mostrar a realidade da rede social de Mark Zuckerberg Mas um estudo recentemente divulgado revela que estes dados podem ser falsos. Segundo o que é mostrado, 50% das contas do Facebook são falsas. É ainda mostrado que a empresa sabe disto e que usa estes valores para manter os investidores interessados. Este relatório surge de Aaron Greenspan, um ex colega de Mark Zuckerberg. Curiosamente este foi um dos criadores do termo Facebook, tendo em 2009 chegado a …

Rapariga vê filme pornográfico e repara que os protagonistas são os pais

"Nunca desliguei tão depressa a televisão", confessou. Uma rapariga ficou surpreendida quando estava a assistir a um filme pornográfico e percebeu que os protagonistas eram nada mais, nada menos do que... os seus pais. Segundo avança o jornal britânico Metro, a mulher recorda a situação e explica que tudo aconteceu quando tinha 15 anos e, sozinha em casa, foi até ao quarto dos pais para ver se encontrava algum brinquedo com que brincar. No entanto, só encontrou cassetes, atrás do guarda-roupa. Não resistiu à curiosidade, pegou neles e foi ver do que se tratava. Poucos minutos depois, arrependeu-se. "O protagonista, que era o meu pai, saltou para cima da mulher e começaram a fazer sexo. Foi a pornografia menos sensual que já vi", relatou a mulher, ao mesmo jornal. A mulher revelou ainda que "nunca correu tão rápido para desligar a televisão. Só conseguia gritar 'não'". Durante anos esteve traumatizada com o que viu, mas agora fala do que a…