Avançar para o conteúdo principal

"Erros" Primeiras falhas chegam aos novos Samsung Galaxy S10

Atualizada: Hoje ao vestir umas calças mais claras consegui reproduzir este problema. De facto, tinha registado números, aberto apps e afins, tudo sem me aperceber. Eventualmente a Samsung deverá resolver esta questão com uma atualização de software. Aparentemente estão a surgir os primeiros problemas com os novos Samsung Galaxy S10. Os posts estão a aparecer a grande ritmo no Reddit e segundo reporta o site PhoneArena nos fóruns oficiais da Samsung. O que se passa com o sistema de proteção contra toque nos novos Samsung Galaxy S10? A primeira queixa e mais prevalente é que o sistema de proteção contra toque acidental não está a funcionar convenientemente. A ideia desta opção é impedir que o ecrã fique ativo quando o equipamento está num bolso ou num mala. Assim não ligamos para ninguém acidentalmente, nem começamos a escrever nada no ecrã nem a tirar fotografias.
As falhas nos novos Samsung Galaxy S10 começam pelo sensor de proximidade Ora, não se sabe o que se está passar, no entanto quando os utlizadores tiram o S10 do bolso ou da mala, ele está com vários números escritos. Por vezes até tira capturas de ecrã, abre aplicações e liga a lanterna. Entretanto toda esta atividade que está a decorrer com o S10 no bolso está a levar a que a bateria aqueça e que se gaste muito mais rapidamente do que deveria.
Inclusivamente isto já levou a alguns problemas conforme relata este site. Um proprietário do Galaxy S10 não percebeu que o seu smartphone ligou para o número de emergência da polícia. Assim, pouco depois, encontrou a polícia à sua porta. Em suma, os sintomas principais estão a ser smartphones quentes, menor duração de bateria e chamadas indesejadas. Um utilizador do Galaxy S10 apresentou uma teoria interessante. Segundo ele, o sensor de proximidade pode estar a conseguir captar luz através das calças, mantendo, por isso, o ecrã ligado. Lembramos que este sensor foi desenvolvido para desligar o ecrã quando algo está próximo ao monitor. Assim, desliga o ecrã quando está em uma chamada ou coloca o dispositivo no seu ouvido, para economizar bateria e evitar toques acidentais.
Lembramos que o iPhone original da Apple foi o primeiro smartphone a disponibilizar esta funcionalidade. Entretanto o mesmo utilizador que teve esta dia resolveu testá-la. Assim cobriu com a mão o sensor de proximidade e o ecrã já nem ligou. Aparentemente é um problema de calibração do equipamento. Se for é bom, porque pode ser resolvido por software. Entretanto os outros problemas que estão a ser reportados centram-se mais na duração da bateria dos novos Samsung Galaxy S10. Algo que parece ser uma solução com algum consenso é que desativar o Always-on e também o toque duplo para acordar parece resultar muito bem. Mas nem todos os utilizadores do Galaxy S10 que desativaram essas configurações tiveram sucesso. Embora os moderadores do fórum da Samsung estejam certamente cientes desse problema, ainda não houve reação da própria Samsung. O que é certo é que este fabricante já deve estar a trabalhar numa solução para o problema.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os robôs pelos quais você deve se apaixonar antes de fazer sexo com eles! (Tecnologia)

A tecnologia invadiu quase todas as áreas da atividade humana , e o campo sexual não é livre, por isso não são robôs sexuais que permitem desfrutar de relacionamentos íntimos para outro nível. Empresas como a Abyss Creations , fabricantes de bonecas sexuais RealDoll , procuram oferecer a experiência mais real possível. Isso inclui que os robôs podem ser programados para apresentar diferentes " humores " e reagir de acordo, mesmo recusando-se a ter um relacionamento sexual. Em todo o mundo, estão indo em alarmes sobre os estereótipos de gênero, o sexismo e objetificação sexual , especialmente considerando desenvolvimento de modelos como o robô Frigid Farrah , programado para " mostrar" o descontentamento quando o jogo abruptamente ou o projetos que simulam a anatomia de menores. O que é um fato é que essas máquinas sempre estarão dispostas a fazer o que seu dono quer . Por isso, outro perigo identificado pelos especialistas é que a inteligência e os senso…

E se metade das contas que existem no Facebook na verdade forem falsas?

O Facebook de Mark Zuckerberg é sem dúvida nenhuma a maior rede social da Internet. As seus muitos utilizadores mostram que é a escolha da maioria e que são fieis. Mas um novo estudo vem mostrar que na verdade pode haver dados falsos. Segundo a informação existente, metade das contas que existem no Facebook são falsas. Os dados que a rede social tem divulgado mostram que conta já com já 2,2 mil milhões de utilizadores.O crescimento tem abrandado, mas ainda assim é um valor que poucos se podem gabar de ter. Aaron Greenspan quer mostrar a realidade da rede social de Mark Zuckerberg Mas um estudo recentemente divulgado revela que estes dados podem ser falsos. Segundo o que é mostrado, 50% das contas do Facebook são falsas. É ainda mostrado que a empresa sabe disto e que usa estes valores para manter os investidores interessados. Este relatório surge de Aaron Greenspan, um ex colega de Mark Zuckerberg. Curiosamente este foi um dos criadores do termo Facebook, tendo em 2009 chegado a …

Rapariga vê filme pornográfico e repara que os protagonistas são os pais

"Nunca desliguei tão depressa a televisão", confessou. Uma rapariga ficou surpreendida quando estava a assistir a um filme pornográfico e percebeu que os protagonistas eram nada mais, nada menos do que... os seus pais. Segundo avança o jornal britânico Metro, a mulher recorda a situação e explica que tudo aconteceu quando tinha 15 anos e, sozinha em casa, foi até ao quarto dos pais para ver se encontrava algum brinquedo com que brincar. No entanto, só encontrou cassetes, atrás do guarda-roupa. Não resistiu à curiosidade, pegou neles e foi ver do que se tratava. Poucos minutos depois, arrependeu-se. "O protagonista, que era o meu pai, saltou para cima da mulher e começaram a fazer sexo. Foi a pornografia menos sensual que já vi", relatou a mulher, ao mesmo jornal. A mulher revelou ainda que "nunca correu tão rápido para desligar a televisão. Só conseguia gritar 'não'". Durante anos esteve traumatizada com o que viu, mas agora fala do que a…