Avançar para o conteúdo principal

OVNI. Marinha confirma veracidade de vídeo com "fenómenos aéreos não identificados"




Em oficial da Marinha dos EUA confirmou que os vídeos que se espalharam na internet com objetos voadores não identificados (OVNI) são reais. No entanto, diz a revista Time, não existia autorização dos governos dos EUA para que as imagens fossem reveladas ao público.
Em declarações à revista, Joseph Gradisher, porta-voz das operações navais da Marinha, confirmou que os três vídeos amplamente difundidos na web dizem respeito a "fenómenos aéreos não identificados", uma informação que já tinha dado ao site "The Black Vault", dedicado a documentos governamentais desclassificados.





"A Marinha designa os objetos contidos nesses vídeos como fenómenos aéreos não identificados", afirmou.




Para Joseph Gradisher, foi uma surpresa a cobertura mediática dada às suas declarações e, particularmente, à sua classificação das incursões como "não identificadas", mas disse que esperava que ajudassem a desmistificar a questão.
"A razão pela qual estou a falar sobre isso é para levarem em consideração a seriedade do assunto", referiu o porta-voz.
Joseph Gradisher não especulou sobre os objetos não identificados que surgem nos vídeos, mas disse que geralmente provam ser objetos mundanos como drones e não naves espaciais alienígenas.
"A frequência de incursões aumentou desde os adventos dos drones e quadcopters", sublinhou.

Em 2017 e 2018, três vídeos de OVNI foram publicados pelo New York Times, no âmbito do "Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais", e pela To the Stars Academy of Arts and Science. No primeiro vídeo, de 2004, conhecido como GIMBAL, é visível o encontro de um caça da Marinha com um dos objetos não identificados.

Segundo o porta-voz, as investigações a estes fenómenos são motivadas pelo risco que representam para a segurança dos pilotos e para as próprias operações. Destacando que os avistamentos ocorrem com frequência, Joseph revelou que os três estão a ser investigados pela Marinha.
Nas declarações ao The Black Vault, o representante explicou que a Marinha prefere que seja usada a designação de "fenómeno aéreo não identificado" e não OVNI, já que a primeira é mais abrangente.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

11 de setembro português provocou 49 mortos na Linha da Beira Alta

O 11 de setembro português ocorreu há 37 anos na linha ferroviária da Beira Alta, em Alcafache, no concelho de Mangualde, distrito de Viseu. Foi o mais trágico acidente ferroviário português, provocando a morte a 49 pessoas. No entanto, 64 passageiros continuam ainda hoje dados como desaparecidos. O serviço regional 1324, com paragem em todas as estações e apeadeiros, chegou à estação de Mangualde, onde deveria permanecer até fazer o cruzamento com o Internacional. No entanto, e não obstante o facto de se terem dado ordens para que a prioridade na circulação fosse atribuída ao serviço internacional, o regional continuou viagem, estimando que o atraso na marcha do Internacional fosse suficiente para a chegada à estação de Nelas, onde, então, se poderia fazer o cruzamento. O outro serviço estava a circular com um atraso menor do que o esperado; considerando, erroneamente, que a via estava livre até à estação de Mangualde, também continuou viagem. Após a partida,

Lançamento de foguete japonês dá errado, e agência espacial ordena autodestruição em pleno voo

Veículo realiza o lançamento de satélites ao espaço; causas da falha serão investigadas por técnicos do Japão © Jorge Daniel Mendes Ferreira A segunda tentativa de lançar o foguete japonês de última geração H3 fracassou nesta terça-feira (7) logo após a decolagem, quando a agência espacial nipônica ordenou a autodestruição ao determinar que o dispositivo não conseguiria completar a missão. O fracasso representa um golpe para a agência espacial japonesa Jaxa, que anunciou o H3 como seu grande símbolo flexível e de baixo custo. O projeto acumulava anos de atraso e a primeira tentativa de lançamento do foguete, em fevereiro, não teve sucesso porque os propulsores não foram acionados. Nesta terça, o H3 conseguiu decolar às 10h37 (22h37 de Brasília, segunda-feira), mas um anúncio na transmissão ao vivo da Jaxa alertou que a velocidade do foguete parecia estar diminuindo. A separação da primeira fase aconteceu como estava previsto, mas depois foram detectados sinais de problemas no centro es

Dogecoin vai crescer 800% e Shiba Inu, 575% até 2025

Previsão de preços: a Dogecoin (DOGE) e Shiba Inu (SHIB) apresentam fortes quedas em 2022. Mas especialistas ainda dizem que as memecoins aumentarão até 800% e 575%, respectivamente, em três anos. A DOGE caiu 92% desde sua máxima histórica de US$ 0,7315 em maio de 2021 e atualmente é negociada a US$ 0,0590. Já a SHIB caiu 88% em relação ao seu recorde US$ 0,00008616 feito em outubro do ano passado. Até o momento, o preço do token subiu 0,4% a US$ 0,00001009 no dia, de acordo com o CoinGecko. As moedas memes caíram muito mais rápido do que Bitcoin e Ethereum, em parte arrastadas por uma série de notícias econômicas negativas nos últimos meses. A inflação está atingindo uma alta de 40 anos nos EUA, a maior economia do mundo, e as taxas de juros estão subindo. Mas também, o mercado estava maduro para exibir “excessos” como a DOGE e SHIB. Sem utilidade, as memecoins “são exemplos de moedas especulativas de hype melhor classificadas como diversão para jogadores em uma escala global s