Avançar para o conteúdo principal

E se metade das contas que existem no Facebook na verdade forem falsas?

O Facebook de Mark Zuckerberg é sem dúvida nenhuma a maior rede social da Internet. As seus muitos utilizadores mostram que é a escolha da maioria e que são fieis. Mas um novo estudo vem mostrar que na verdade pode haver dados falsos. Segundo a informação existente, metade das contas que existem no Facebook são falsas. Os dados que a rede social tem divulgado mostram que conta já com já 2,2 mil milhões de utilizadores.O crescimento tem abrandado, mas ainda assim é um valor que poucos se podem gabar de ter. Aaron Greenspan quer mostrar a realidade da rede social de Mark Zuckerberg Mas um estudo recentemente divulgado revela que estes dados podem ser falsos. Segundo o que é mostrado, 50% das contas do Facebook são falsas. É ainda mostrado que a empresa sabe disto e que usa estes valores para manter os investidores interessados. Este relatório surge de Aaron Greenspan, um ex colega de Mark Zuckerberg. Curiosamente este foi um dos criadores do termo Facebook, tendo em 2009 chegado a acordo com a rede social na questão do nome.
O relatório que arrasa com a informação do Facebook Ao todo são 75 páginas onde Aaron Greenspan detalha parte da sua relação com o Facebook e o seu criador. Avança ainda com informação que contradiz a informação que a rede social apresenta. Greenspan relata que este a alteração dos é propositada e que pretende apenas manter a aparência do que a rede social é. As contas falsas estão fora de controlo e principalmente a empresa não tem feito o que pode para as controlar. Há ainda a questão da publicidade. Com estes valores, a colocação de publicidade é interessante, mas caso os dados estejam corretos, as empresas estão a jogar dinheiro fora.
O Facebook já desvalorizou este relatório A empresa de Mark Zuckerberg já reagiu a estes dados e considera-os totalmente falsos e difamadores. A rede social continua a afirmar que os seus utilizadores rondam os 2 mil milhões. É ainda partilhado que os dados do Facebook apontam para cerca de 2 a 3% de utilizadores falsos, longe dos números que Aaron Greenspan advoga e que constam do seu relatório. Provavelmente este é mesmo um número demasiado elevado, mas alerta para a questão das contas falsas no Facebook. A empresa tem lutado contra este problema, mas sem que o consiga controlar realmente.

Comentários

  1. O facebook e gratuito pena varias coisas divulgadas sobre eles
    Principalmentes a venda de dados :(

    ResponderEliminar
  2. so eu tenho 4 contas no inactivo sem saber a senha affffff

    ResponderEliminar
  3. por acaso eu tambem tenho 2

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Os robôs pelos quais você deve se apaixonar antes de fazer sexo com eles! (Tecnologia)

A tecnologia invadiu quase todas as áreas da atividade humana , e o campo sexual não é livre, por isso não são robôs sexuais que permitem desfrutar de relacionamentos íntimos para outro nível. Empresas como a Abyss Creations , fabricantes de bonecas sexuais RealDoll , procuram oferecer a experiência mais real possível. Isso inclui que os robôs podem ser programados para apresentar diferentes " humores " e reagir de acordo, mesmo recusando-se a ter um relacionamento sexual. Em todo o mundo, estão indo em alarmes sobre os estereótipos de gênero, o sexismo e objetificação sexual , especialmente considerando desenvolvimento de modelos como o robô Frigid Farrah , programado para " mostrar" o descontentamento quando o jogo abruptamente ou o projetos que simulam a anatomia de menores. O que é um fato é que essas máquinas sempre estarão dispostas a fazer o que seu dono quer . Por isso, outro perigo identificado pelos especialistas é que a inteligência e os senso…

Rapariga vê filme pornográfico e repara que os protagonistas são os pais

"Nunca desliguei tão depressa a televisão", confessou. Uma rapariga ficou surpreendida quando estava a assistir a um filme pornográfico e percebeu que os protagonistas eram nada mais, nada menos do que... os seus pais. Segundo avança o jornal britânico Metro, a mulher recorda a situação e explica que tudo aconteceu quando tinha 15 anos e, sozinha em casa, foi até ao quarto dos pais para ver se encontrava algum brinquedo com que brincar. No entanto, só encontrou cassetes, atrás do guarda-roupa. Não resistiu à curiosidade, pegou neles e foi ver do que se tratava. Poucos minutos depois, arrependeu-se. "O protagonista, que era o meu pai, saltou para cima da mulher e começaram a fazer sexo. Foi a pornografia menos sensual que já vi", relatou a mulher, ao mesmo jornal. A mulher revelou ainda que "nunca correu tão rápido para desligar a televisão. Só conseguia gritar 'não'". Durante anos esteve traumatizada com o que viu, mas agora fala do que a…